UEPG HOMENAGEIA LUCIEN SÉGUY PELA DIFUSÃO DO SISTEMA DE PLANTIO DIRETO
19/11/2010 - 00:00 AM
 


O reitor João Carlos Gomes entrega a medalha do Mérito Universtiário a Lucien Séguy

      “Passei uma vida extraordinária e devo isso ao Brasil”. Assim o agrônomo e pesquisador francês Lucien Roland Séguy agradeceu à Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), o reconhecimento pelo seu trabalho na difusão do sistema de plantio direto, com a outorga da Medalha do Mérito Universitário. A solenidade de entrega da honraria aconteceu nesta sexta-feira (19/11), na Sala dos Conselhos (Bloco da Reitoria), no Campus de Uvaranas, com a presidência do magnífico reitor João Carlos Gomes, acompanhado do vice-reitor Carlos Luciano Sant’Ana Vargas e do conselheiro Eduardo Fávero Caires, diretor do Setor de Ciências Agrárias e de Tecnologia, proponente da homenagem ao pesquisador.
      No agradecimento à homenagem prestada pela comunidade universitária, Lucien Séguy confessou estar “emocionado e super feliz”, dizendo não saber se merece de fato todo esse reconhecimento, referindo-se também ao título de cidadão de Sinop, município do Mato Grosso, que receberá na próxima semana. Nesse sentido, ele mencionou sua frustração por não ter conseguido mostrar aos europeus a importância do sistema de plantio direto para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável. “Há 20 anos, isso já era uma necessidade e hoje é muito mais”, disse o pesquisador francês, afirmando que a Europa tem uma mentalidade velha, “que não se muda com facilidade’.
      Sobre seu trabalho em mais de 30 países, com agricultores pobres – “pessoas que não têm nada” – Lucien Séguy disse que “botamos sementes do plantio direto no mundo inteiro”. Especificamente, ele falou do seu trabalho em Madagascar, juntamente com o produtor ponta-grossense Manoel Henrique Pereira (Nonô), onde hoje existe cerca de 10 mil hectares cultivados a partir do sistema de plantio direto na palha. O mesmo trabalho ele desenvolveu no Mato Grosso, lembrando que um homem que não entendia nada de agricultura, mas acreditou na sua “paixão” pelo plantio direto e lhe confiou a quantia de R$ 1 milhão, para desenvolvimento dos seus projetos. “Quem me valorizou foram os brasileiros”, finalizou, declarando-se eternamente agradecido ao Brasil.
     


Lucien Séguy agradece à homenagem prestada pela UEPG

      A homenagem da UEPG a Lucien Séguy se deve, principalmente, a sua participação fundamental no estabelecimento do convênio entre a instituição e o Centro de Cooperação Internacional em Pesquisa Agronômica para o Desenvolvimento – CIRAD, da França, para a realização do curso internacional de “Manejo da Matéria Orgânica do Solo”. O professor João Carlos de Moraes Sá, coordenador do curso, destacou o papel de Lucien Séguy na consolidação da UEPG como uma referência internacional e centro de excelência do desenvolvimento de pesquisas no manejo da matéria orgânica do solo, com destaque para o sistema de plantio direto.
      Segundo o professor João Carlos de Moraes Sá, a ligação de Séguy com Ponta Grossa e os Campos Gerais vem desde 1984, quando aqui esteve para conhecer o plantio direto na palha, um sistema que naquela época muitos disseram que não se adaptaria às regiões tropicais. “A partir do seu trabalho na região do cerrado brasileiro, no Mato Grosso, Goiás e Tocantins, ele levou o sistema de plantio direto a mais de 30 países”, disse o professor da UEPG, citando que 75 pesquisadores (doutore e mestres) da Europa, África e Ásia participaram das cinco edições do curso internacional de “Manejo da Matéria Orgânica do Solo”.
     


O pesquisador francês ainda recebeu o diploma do Mérito Universitário, na foto com o reitor João Carlos Gomes, o vice-reitor Luciano Vargas e o professor Eduardo Fávero Caires

      A parceria com o CIRAD, nesses cinco anos, segundo o professor João Carlos Sá, teve forte impacto no Laboratório de Análise de Solos da UEPG, com aporte de recursos que permitiram a aquisição de equipamentos de última geração. “Hoje podemos dizer seguramente que somos uma referência internacional nessa área de análise da matéria orgânica do solo”, completa o professor, destacando o projeto de instalar na UEPG um Centro de Excelência em Plantio Direto e ainda um Museu do Plantio Direto, a partir de entendimentos já iniciados coma Federação Brasileira de Plantio Direto na Palha, que tem como fundador o ponta-grossense Manoel Henrique Pereira (Nonô).
      O reitor João Carlos Gomes destacou a homenagem ao professor Lucien Séguy, como uma das poucas pessoas da comunidade externa que receberam tal homenagem, concedida a professores, agentes universitários, acadêmicos e personalidades eminentes, pela contribuição ao desenvolvimento da instituição. “Pela sua luta na difusão do plantio direto, conforme seus próprios relatos, essa é uma homenagem justa e engrandece nossa universidade”, disse o reitor, lembrando da ligação entre o sistema de plantio direto e o curso da Agronomia da UEPG, o primeiro do Brasil a ter uma disciplina específica nessa área, fato que “contribui seguramente para que estejamos hoje com o melhor curso do país, com conceito máximo em todos os quesitos do sistema de avaliação do Ministério da Educação”.
      “Tenha a certeza de que o seu nome já está gravado nos anais da nossa universidade”, disse o reitor ao estender a homenagem da Lucien Séguy também aos participantes do curso internacional de “Manejo da Matéria Orgânica do Solo”, presentes à sessão do Conselho Universitário. “Esse curso e um marco no processo de internacionalização da nossa universidade”, disse o reitor, destacando a possibilidade de intercâmbio aberta com pesquisadores, doutores e mestre de mais de 30 países, ao longo das cinco edições do curso e que poderá se ampliar ainda mais, coma renovação da parceria com o CIRAD.
     


O professor Lucien Séguy, com autoridades universitárias e os participantes do curso de "Manejo da Matéria Orgânica do Solo"

 
Voltar

© 2002 - Centro de Processamento de Dados - UEPG