UEPG RECEBE PESQUISADORES DA ÁFRICA, ÁSIA E EUROPA
06/11/2009 - 00:00 AM
 
      Pesquisadores da África, Ásia e Europa participam, a partir da próxima segunda-feira (9/11), da quarta edição do curso internacional de “Manejo de matéria orgânica, relação entre sistemas de produção e cultura de cobertura: princípios e chaves para ação”, promovido pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) em parceria com o Centro de Cooperação Internacional em Pesquisa Agronômica (Cirad-França). O convênio entre as duas instituições, assinado em 2005, com vigência até 2010, será renovado por mais três anos, comenta o coordenador do curso, professor João Carlos de Moraes Sá. “Essa renovação se deve ao sucesso no relacionamento entre a UEPG e o Cirad, proporcionando um avanço significativo nas pesquisas sobre a utilização da matéria orgânica no manejo do solo”.
      O convênio UEPG/Cirad se desenvolve em três etapas, explica o professor João Carlos. A primeira consiste no treinamento de pesquisadores, a partir do curso de Manejo da matéria orgânica. No segundo momento, se dá a análise das amostras coletadas nos experimentos desenvolvidos nos diversos países participantes do curso. “A UEPG já analisou mais de três mil amostras enviadas pelos pesquisadores”, revela o professor. A terceira etapa envolve a cooperação científica na interpretação dos dados e intercâmbio científico do coordenador do curso em Montepellier (França), para interagir com outros pesquisadores do programa de sistemas de produção e sequestro de carbono.
      A partir dessas premissas, o professor do Departamento de Ciências do Solo e Engenharia Agrícola da UEPG considera o convênio com o instituto francês uma “mola mestra no impulso ao trabalho de pesquisa realizado no curso de Agronomia”. Hoje, o Laboratório de Matéria Orgânica do Solo tem uma excelente estrutura e propicia o avanço nas pesquisas sobre a matéria orgânica do solo. Até o final deste convênio, o Cirad terá investido em torno de US$ 500 mil, principalmente na compra de equipamentos de última geração para o laboratório. Além disso, o convênio tem gerado um fluxo de artigos submetidos a revistas internacionais destacadas da área e ainda a ampliação dos contatos com outras instituições, como a The Ohio State University.
     


O professor João Carlos de Moraes Sá destaca parceria entre a UEPG e o Centro de Cooperação Internacional em Pesquisa Agronômica (Cirad-França)

      CURSO
      Na coordenação do curso, o professor João Carlos de Moraes Sá explica que, na primeira e parte da segunda semana, o enfoque será sobre a dinâmica da matéria orgânica do solo nos sistemas de manejo com ênfase no plantio direto. A partir do primeiro dia de aula, o curso terá as manhãs com a prática e as tardes com a teoria. O professor observa que a parte prática será no campo, com a coleta de amostras do solo e da palhada e demonstração de métodos para avaliação de alguns atributos do solo. Na seqüência, as amostras levadas para o Laboratório de Matéria Orgânica, quando será feito o manuseio e o preparo das amostras que serão analisadas.
      “Nós vamos discutir em detalhes o ciclo do carbono nos sistemas de manejo do solo visando dar suporte técnico e científico para os participantes estarem aptos a elaborar estratégias de manejo sustentáveis. Vamos falar dos detalhes dos compartimentos da matéria orgânica, suas características e funcionalidade e a interação com os sistemas de cultura”. Segundo João Carlos, a filosofia é “fazendo e aprendendo”, ou seja, o que é ministrado nas aulas teóricas é apresentado nas aulas práticas. Esse tem sido o ponto forte do curso. “Nós reunimos aqui na UEPG todas as condições para ministrar esse curso. Além das situações de campo temos um banco de mais de 10 mil amostras de solos envolvendo diferentes situações que podem servir de exemplo para complementar os assuntos ministrados em aula”.
      Na continuação do curso, entra a questão das associações dos sistemas de manejo e as sequencias de culturas influenciando a formação dos agregados. “Os agregados são unidades que são formadas através do agrupamento das partículas primárias, argila, silte e areia, associando-se para formar microestruturas, microagregados e macroagregados constituindo a estrutura do solo”, explica o professor. A matéria orgânica é o componente fundamental atuando como agente cimentante desses agregados. O curso prossegue com os temas impactos dos sistemas de cultivo, as perdas e acúmulos de carbono. Ou seja, como a rotação de culturas pode beneficiar o acúmulo de carbono e a redução dos gases do efeito estufa. Para permitir uma visão mais ampla, os pesquisadores participam de uma visita à Estação do Iapar em Vila Velha.
      Os participantes também farão visita à propriedade de Manuel Henrique Pereira, um dos pioneiros do plantio direto na região dos Campos Gerais. Na parte final do curso há a presença do Dr. Lucien Séguy, que atua na coordenação do projeto Cirad em nível internacional, juntamente com o professor João Carlos de Moraes Sá. Como especialista na área, Lucien Seguy irá abordar os sistemas de produção para as regiões tropicais e as estratégias para elaboração de sistemas sustentáveis de produção. A quarta edição do curso reúne 16 pesquisadores da Tunísia, Madagascar, Vietnã, Camboja, Camarões, Laos, Tailândia e França.
     
      Participantes do curso de Manejo da matéria orgânica
     
      Tunísia
      ELAYEB Hosny
     
      Camarões
      OLIVIER Dominique
      ADOUM Oumarou
      ABAKAR MADAM Dogo
     
      Camboja
      HOK Lyda
     
      Madagascar
      Mme RANDRIAMIARANA Vololoniraisana
      RASAMILALA Alexandre Anatole
      RASOLOMANJAKA Andriatiana Joachin
      RAKOTO Harivony Niriniaina Andriamampianina
      RAVONISON Lanto Nirina
     
      Laos
      SOMPHOU Inthong
     
      CHOUNLAMOUNTRY Thisadee
     
      Vietnam
      SENGXUA Pheng
     
      Tailândia
      KANKET Wimolnan
     
      França
      ENJALRIC Frank
      CHABANNE André
     
 
Voltar

© 2002 - Centro de Processamento de Dados - UEPG